AgriculturaAgronegócioBrasilDestaqueManchetesMundo

Relações bilaterais entre Brasil e Japão se fortalecem com visita do Mapa

Entre os dias 21 e 25 de maio, uma delegação do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) esteve no Japão em missão oficial. A agenda incluiu reuniões de alto nível e eventos de promoção comercial para fortalecer relações bilaterais e promover exportações brasileiras. Questões sanitárias e fitossanitárias foram abordadas, além de explorar oportunidades de cooperação.

A missão iniciou-se em Tóquio com um encontro preparatório para o “Diálogo Brasil-Japão em Alimentos e Agricultura” junto ao Ministério da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão (MAFF). Discutiram-se temas como segurança alimentar e cooperação tecnológica. Esse diálogo, principal fórum entre os ministérios dos dois países, ocorrerá no Brasil nos próximos meses, após ter sido suspenso desde 2019 devido à pandemia de Covid-19.

Líderes do Mapa, do Ministério das Relações Exteriores, associações do setor e empresários brasileiros reuniram-se na Embaixada do Brasil em Tóquio com membros do governo japonês e da iniciativa privada para debater a abertura de novos mercados e investimentos visando aumentar a produção agropecuária brasileira. O encontro contou com a presença de 60 representantes de ambos os países.

Nas reuniões, incluindo uma audiência com o embaixador do Brasil em Tóquio, Octávio Henrique Côrtes, foram apresentadas oportunidades de exportação de carne bovina e suína para o Japão. Destacou-se que o Brasil agora possui status de país livre de aftosa sem vacinação, restando apenas o reconhecimento pela Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA). Discutiram-se também possibilidades de abertura de mercados para óleos, gorduras, farinhas e hemoderivados de origem animal; salsicha mista; abacate; melão e outros produtos do agronegócio brasileiro.

A delegação realizou visitas técnicas aos campos de arroz Yamazaki, à Organização Nacional de Pesquisa de Alimentos e Agricultura (NARO) e ao Centro Internacional de Pesquisa em Ciências Agrícolas (JIRCAS), reforçando o compromisso com a inovação e a pesquisa no setor agropecuário.

Em 2023, as exportações de produtos agropecuários do Brasil para o Japão totalizaram US$ 4,1 bilhões. A pauta é concentrada em cinco produtos que representam cerca de 70% do total exportado: milho, carne de frango in natura, café verde, soja em grãos e farelo de soja. O Japão é o 4º maior importador de produtos agrícolas no mundo, tendo o Brasil como principal fornecedor de alguns deles, como carne de frango in natura, café verde e suco de laranja.

Durante a missão, foram debatidos os avanços do Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradadas (PNCPD), com o Japão, através da JICA (Agência de Cooperação Internacional do Japão), sendo o primeiro a contribuir com o programa que visa recuperar até 40 milhões de hectares de pastagens nos próximos dez anos, dobrando a área de produção de alimentos no Brasil sem desmatamento.

A cooperação com a JICA seguirá em duas linhas: Cooperação Financeira, com financiamento para produtores agrícolas, e Cooperação Técnica, que definirá as regiões e propriedades alvo do programa. Serão abordados aspectos como pesquisa, desenvolvimento e inovação, com taxas de juros entre 1,7% e 2,4% em iene japonês, prazos de pagamento entre 15 e 40 anos, e carência entre 5 e 10 anos. A modelagem financeira e o relatório inicial serão discutidos, com anúncio oficial previsto para a cúpula do G20, em novembro.

A comitiva do Mapa incluiu o secretário de Comércio e Relações Internacionais, Roberto Perosa; o secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart; o secretário-adjunto de Comércio e Relações Internacionais, Julio Ramos; o diretor do Departamento de Negociações Não-Tarifárias e de Sustentabilidade, Augusto Billi; o diretor do Departamento de Saúde Animal, Marcelo Mota, e o adido agrícola em Tóquio, Marco Pavarino.

“A missão oficial ao Japão representou um importante momento na consolidação das relações bilaterais e na expansão das exportações agropecuárias brasileiras. As discussões sobre segurança alimentar, cooperação tecnológica e a abertura de novos mercados reforçam nosso compromisso com a inovação e a sustentabilidade. A colaboração com a JICA no Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradadas é um exemplo claro de como a parceria internacional pode impulsionar o desenvolvimento do agro brasileiro, beneficiando produtores e consumidores de ambos os países”, destacou o secretário Roberto Perosa.

Avalie o Post post

Mostrar mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo