AgriculturaAgronegócioAgronegócio NotíciasBrasilDestaqueEconomiaGoiâniaGoiásManchetesNotíciasPecuária

Agronegócio Notícias – Sancionada com vetos, a lei que institui o programa de crédito para micro e pequenas empresas

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a lei que institui o programa de crédito para micro e pequenas empresas, durante a crise do novo coronavírus. Aprovada pelo Congresso Nacional, a lei oferece uma linha de crédito no valor de até 30% do faturamento anual da empresa do ano anterior, como forma de enfrentar os impactos econômicos causados pela Covid-19.

Podem participar empresas com faturamento anual de até R$4,8 milhões que se encaixam nas definições de micro e pequena empresa. O presidente Bolsonaro acatou as recomendações do ministério da Economia e do Banco Central e fez quatro vetos ao projeto de lei. Entre eles, vetou a carência de 8 meses para começar a pagar o empréstimo.

Segundo os motivos apresentados para o veto, essa carência geraria risco à própria política diante da incapacidade dos bancos públicos executarem o crédito com essas condições. Vetou também o dispositivo que prorrogava o pagamento das parcelas de dívidas das empresas com o Fisco por gerar renúncia de receitas para a União sem indicar o cancelamento de outra despesa. Isso, segundo o veto, contraria as Leis de Responsabilidade Fiscal e de Diretrizes Orçamentárias.

Também sofreu veto o dispositivo que permitia a concessão do empréstimo para empresas em situação irregular o que, segundo a justificativa do Planalto, poderia gerar prejuízo aos cofres públicos.

Com isso, as empresas interessadas no programa terão 36 meses para quitar o empréstimo a uma taxa de juros que soma a taxa Selic, atualmente em 3% ao ano, mais 1,25% ao ano. Os bancos interessados em realizar as operações terão o respaldo do Fundo Garantidor de Operações, para até 85% do valor emprestado como seguro para possíveis inadimplências.

As micro e pequenas empresas poderão usar os recursos obtidos para investimentos, para pagar salários ou para o capital de giro, com despesas como água, luz e aluguel, ficando proibido o uso do recurso para o pagamento de lucros e dividendos.

Como foi sancionada com vetos, cabe ao Congresso Nacional manter ou derrubar os vetos presidenciais.

Etiquetas
Agricultura Agronegócio agronegócio notícias Brasil Destaque Economia goiania goias Manchetes Notícias Pecuária
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar