DestaqueEmater GoiásGoiâniaGoiásManchetes

Prazo para inscrição no Projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã encerra-se nesta Sexta-feira, transformando Goiás em polo de produção de frutas

Termina na próxima sexta-feira, dia 26, o prazo final para inscrição dos produtores interessados em participar do ambicioso projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã, que tem como objetivo principal a transformação da região Nordeste do estado de Goiás no principal polo de produção de frutas da região. Este projeto, coordenado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado de Goiás (Seapa), em parceria com a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), tem como missão implantar sistemas de irrigação em propriedades rurais dos municípios de Flores de Goiás, São João D’Aliança e Formosa.

O edital visa selecionar um total de 138 produtores rurais, os quais receberão assistência técnica da Emater para otimizar a gestão de suas produções. Com o apoio das entidades envolvidas, pretende-se promover a inclusão produtiva, impulsionar o desenvolvimento socioeconômico e fomentar a agricultura na região Nordeste de Goiás.

Este projeto também tem como objetivo estimular o trabalho de produtores oriundos da reforma agrária e de comunidades tradicionais, com a perspectiva de melhorar a qualidade de vida dos agricultores familiares da região através do aumento da produtividade agrícola e da geração de emprego. As culturas de manga e maracujá foram escolhidas devido à compatibilidade com as características da região, como o relevo, o clima e a disponibilidade de água.

Com a conclusão desta etapa do Projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã, em conjunto com o projeto piloto, que envolveu 10 produtores, a expectativa é abranger uma área de 296 hectares, predominantemente abastecida pelas barragens do Rio Paranã e Ribeirão Porteira. A área tem capacidade para produzir aproximadamente 4,2 mil toneladas de maracujá e 6 mil toneladas de manga por ano, a partir do segundo e terceiro anos de cultivo, respectivamente. Cada produtor tem uma meta de atingir 28 toneladas por ano, proporcionando uma receita bruta de R$ 210 mil apenas com a produção de maracujá.

Os agricultores que atenderem aos critérios estabelecidos no edital receberão visitas da equipe técnica da Seapa e da Emater, que avaliarão a aptidão do produtor e da propriedade com base em critérios técnicos, como disponibilidade de área, experiência em irrigação e, especialmente, disponibilidade de recursos hídricos. Os produtores selecionados contarão com a assistência técnica da Emater e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Goiás (Senar Goiás) para o manejo da produção. O Sistema OCB-GO também oferecerá suporte para a criação de cooperativas.

Cada propriedade beneficiada receberá um conjunto de irrigação para cobrir dois hectares, com um hectare de manga e um hectare de maracujá, ambos irrigados. O Governo de Goiás fornecerá a infraestrutura de irrigação, cujos custos foram cobertos pela Codevasf.

Os interessados em se inscrever no projeto podem encontrar o edital de Chamamento Público nº 002/2023 e o formulário de inscrição no site da Seapa. Para eventuais dúvidas, os produtores podem procurar os escritórios locais da Emater, onde receberão auxílio para efetuar suas inscrições. Não perca a oportunidade de fazer parte dessa iniciativa que promete revolucionar a produção de frutas em Goiás. O prazo está se encerrando, então aja agora e faça parte dessa transformação!

Avalie o Post post

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo