AgronegócioBrasilDestaqueManchetesMundoNotícias

Agronegócio Notícias – Sudão quer investir na produção de frango em parceria com empresas brasileiras

A Autoridade Árabe para Investimento e Desenvolvimento Agrícola (AAAID) quer investir na produção de frango no Sudão tendo empresa brasileira como parceira. Foi o que disse o presidente da empresa e do conselho da companhia, Mohammed Obaid Almazrooei, neste domingo (22), em entrevista para a ANBA durante seminário que reuniu empresários dos Emirados Árabes Unidos e brasileiros no auditório do prédio do escritório da Câmara de Comércio Árabe Brasileira em Dubai. O seminário contou com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, que participa da missão brasileira a quatro países árabes.

A AAID é uma instituição financeira composta por 21 países árabes, com capital de US$ 1,1 bilhão, que objetiva principalmente investir em empresas de produção alimentícia no mundo árabe e assim contribuam com a segurança alimentar local. De acordo com o estatuto da companhia somente ela pode ter participação em empresas instaladas em países árabes, mas estas, por sua vez, podem ter projetos de produção no exterior, segundo informações de Almazrooei. A companhia participa de negócios da área agrícola e pecuária.

A exemplo da Sadia, que é integrante da companhia brasileira BRF, que possui unidade de processamento nos Emirados Árabes Unidos, Almazrooei falou que gostaria de ver mais empresas brasileiras produtoras de frango operando em países árabes. “O Sudão tem clima adequado, parecido com o Brasil, e a cultura do consumidor mudou, produzir no local facilita o consumo”, falou ele para a ANBA. A vontade do executivo iniciar um projeto de produção de carne de frango no país árabe Sudão, juntamente com empresa brasileira. Segundo Almazrooei, ele chegou conversar sobre investimentos com brasileiros há três anos, mas nada aconteceu.

O executivo apresentou no seminário dados que mostravam a contribuição dos projetos investidos pela empresa para o fornecimento de alimentos em cada país árabe. Nos Emirados, a fatia de investimento no setor de frango é de 33%, na Arábia Saudita é 9%, no Sudão 5% e em Omã 28%. Na produção de açúcar, no Sudão é 50% e no Egito 8%. No mercado de lácteos dos Emirados as empresas na qual a AAAID tem participação têm 33% e na Tunísia 8%. Os projetos relacionados a óleos vegetais com capital da empresa respondem por 12% na Síria e no Sudão por 13%. A instituição financeira AAAID tem participação em um total de 50 empresas de países árabes, 39 já existentes e as demais em implementação.

No mesmo encontro, a ministra brasileira da Agricultura afirmou o interesse do Brasil em ter investimentos árabes, especialmente no agronegócio e na logística de escoamento da produção. “Considerando que os Emirados são um grande investidor mundial e que o Brasil há anos figura entre os principais destinos de investimentos externos, entendo que há enorme espaço para trabalharmos em conjunto”, disse. Ela destacou que Brasil e Emirados assinaram em março deste ano Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI), para estimular, simplificar e apoiar os investimentos bilaterais.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo